Mudar (conclusão)

Photo by rawpixel.com on Unsplash

Ao longo destas semanas publiquei testemunhos de pessoas de diversas idades e áreas de trabalho que decidiram mudar de vida e pudemos entender o porquê.
Apesar das diferenças entre os protagonistas dos testemunhos, todos partilham um ponto comum: a busca do ouro moderno, o tempo. Todas estas pessoas quiseram tempo para aprender, tempo para estar com a família, tempo para viver.

O foco destas mudanças não é o peso do que deixaram, mas sim a leveza do que procuraram e alcançaram. Ninguém  acorda de um dia para o outro e resolve mudar. A insatisfação vai-se anunciando a pouco e pouco até ao ponto de se tornar um objectivo claro e emergente. E assim, as novas alternativas de emprego e de estilo de vida constituem o verdadeiro sonho ou, nestes casos, realidades sonhadas e alcançadas.
De que nos adianta tanta correria? Talvez ainda não tenham tido oportunidade para pensar… A roda viva é, tantas vezes, uma roda morta pelas migalhas que nos traz! Porque dinheiro (e eventualmente estatuto) são bem mais inferiores a sermos felizes.

A todos os que estão bem, parabéns!
A todos os que ainda não se encontraram, não desistam! Não desistam!

Anúncios