Somos Mais Do Que Histórias II

Se eu pudesse ler todos os livros…

O tempo deste verbo é o conjuntivo imperfeito. Tempo verbal usado na dimensão do irreal ou hipotético. O imperfeito é passado, o conjuntivo é o hipotético. Ora uma hipótese no passado, é uma hipótese condenada a não passar disso mesmo: hipótese.

Não podendo eu ler todos os livros, sei que não os quereria ler realmente todos, vou lendo os que atravessam o meu caminho numa livraria, num blog de uma leitora compulsiva ou noutra qualquer circunstância como um concurso de escrita.

Neste último contexto, há um livro que não atravessou o meu caminho, mas pontuou-o! Como assim? Vou deixar-vos descobrir. Os que sabem, mantenham a descrição!

Estou a falar do Somos Mais Do Que Histórias II, histórias de vários autores, na primeira ou na terceira pessoa em forma de breves relatos da imaginação e da realidade sobre amor e desamor, suspiros, esperanças e confidências. Tudo isto num único livro!

A iniciativa deste concurso nasceu na dinâmica editora Cordel de Prata com quem tenho tido a oportunidade de colaborar.

Convido-vos a ler Somos Mais Do Que Histórias II e a partilhar as que mais gostaram.

Boa leitura e boa escrita!

Agenda eletrónica e de papel!

Mais uma semana que começa timidamente. O sol insiste em aparecer de vez em quando, sem grande convicção. Mas o dever, esse, já meteu mãos à obra, ontem. Domingo é o dia em que vários sites costumam enviar as sugestões dos seus produtos. Por ser um dia em que as pessoas vivem a um ritmo mais relaxado, dispõem de largos minutos para dispersarem a atenção para assuntos menos importantes ou urgentes. É justamente nesse dia que aproveito para planificar a minha semana. Pausada e calmamente, penso e planifico os dias que se seguem. Apanhando o comboio da segunda-feira só volto a ter paragem à sexta! Assim, organizo-me não com uma agenda, mas com duas: uma eletrónica, outra de papel!

Apesar da era tecnológica, eu nasci na era analógica. É difícil convencerem-me da completa anulação do papel. O único argumento que me move é o respeito pelo planeta. Contudo, não posso deixar os meus dias de trabalho, as minhas marcações nas mãos de um computador ou iPad ou telemóvel. O Back up é o papel. Quem diria! Enquanto isto, ainda há pessoas que se regem sem agenda. Confesso que não sei como. Mas como os métodos são como os gostos, cada um tem os seus, importa é aproveitarmos bem o tempo. A propósito deste tema, sugiro a leitura de how-to-organize-my-time-como-organizar-o-meu-tempo .

E vocês? Agenda semanal ou diária?

Boa semana!

Photo by Arnel Hazanovic in Unplash