A verdade sobre o meu verão

Este foi certamente um verão diferente! Devido a um projecto profissional do meu marido, passei uma boa parte do verão com ele a mais de 8000 quilómetros de mim. Apesar de ser uma situação nova, em que confesso ter ficado meia perdida numa primeira digestão da ideia pelo facto de ser muito tempo de ausência, logo comecei a criar um plano. Afinal, era verão e alguém tinha de estar de férias! Assim, no seio da família, da melhor comida, do tão esperado descanso, tracei o plano mestre, o de ler, ler muito.

Dei, então, início às minhas viagens literárias antes das viagens literais. E foi ainda no Estoril que Gonçalo Cadilhe me fez as hostes. Ofereceu-me o mundo em Encontros Marcados deixando-me de água na boca, não pelo calor uma vez que esse tardou imenso a chegar, mas pela diversidade de lugares que descreveu. Seguiu-se O tempo envelhece depressa de um autor quase português, italiano de origem, António Tabucchi, apaixonado por Portugal, a sua língua e gente. Passei de contos sobre o tempo para Contos Exemplares num passeio com a Sophia de Mello Breyner Andresen. Ainda desfrutei do sol a sul do país que me acompanhou calorosamente num caminho introspectivo graças a Valter Hugo Mãe no vertiginoso Desumanização. Na minha estadia por Coimbra, visitei uma livraria deliciosa, a livraria FAZ DE CONTO, onde me apaixonei pelo A Guerra e O Cuquedo. Este último comprei para oferta. As férias acabaram, mas o verão ainda não. Permaneço na literatura portuguesa como quem adia o mais possível o fim da sua estação preferida.

Assim, apesar da minha profissão me ocupar com incontáveis leituras outras que contos ou romances, e ainda que a uma velocidade diferente, quero acabar o verão e entrar e passar o outono com autores portugueses ( não necessariamente por esta ordem) como por exemplo, Afonso Cruz, Gonçalo M. Tavares, João Tordo, Filipa Martins, Isabel Rio Novo, Miguel Esteves Cardoso, entre tantas outras propostas que me têm igualmente chegado. Apesar de diferente, enquanto o pensamento do meu coração deambulou por terras da América do Sul, este meu verão foi vivido física, literária e alegremente em Portugal.

E para ti, como foi o verão e quais as tuas sugestões de leitura para o outono?

Anúncios