“Todas as minhas palavras são tuas” de Marta Coelho

Do alto dos seus 15 anos, numa habitual saída à noite com a sua melhor amiga, Lena conhece Rodrigo. Sem procurarem, ambos encontram um amor tão mais perfeito que o sonhado. E o que se poderia esperar é um ciclo redondinho que se encerra, cheio de amor e tranquilidade, onde as personagens conseguem exatamente aquilo que desejam e, como bónus, ainda levam amor na bagagem. Esta frase foi retirada do prólogo “Viveram felizes para sempre” caso fosse Lena a escrever a história. Seria, mas não é. O que poderá interromper um amor perfeito?

Desconhecia o trabalho da Marta Coelho, autora portuguesa cheia de talento que podem conhecer aqui.

A escrita simples, sem pormenores desnecessários, prendeu-me de tal maneira que li tudo de um só fôlego. Recordei um amor adolescente e ri. Recordei pessoas que perdi e chorei. Foram muitas emoções nesta viagem ao passado que já não volta e ao futuro que desconheço. Foi sobretudo uma viagem que fez com que apreciasse mais ainda o meu presente.

O início embala-nos, mas a reviravolta faz o seu papel: revira-nos! Ninguém está a salvo de ser uma Lena ou um Rodrigo. Ninguém está a salvo de se perder no tempo das suas vivências. Ninguém é imune ao tempo que passe. Por isso, recomendo esta viagem vivamente.