A montanha somos nós

Quando procrastinamos é, muitas vezes, porque o que temos para enfrentar nos assusta. Acontece a todos. Eu não sou exceção e, por isso mesmo, resolvi partilhar contigo qual é a minha atitude. Eis uma sugestão!

Separar por etapas

Sempre que uma tarefa me parece intransponível, como a de estudar certos temas ou escrever sobre outros tantos, em vez de olhar para a montanha que esse processo representa, separo por etapas para, passo a passo, dia após dia, ao meu ritmo, atingir o cume. Assim, frase a frase, ideia após ideia, vou avançando para o meu objectivo.

O que parece nem sempre é!

Por outro lado, aprendi há pouco tempo, que assim como quando olhamos para um Iceberg, só vemos um sétimo ou um décimo do que representa por inteiro, da mesma maneira, muitas vezes, só conseguimos ver em nós uma pequena parte das nossas capacidades.

No seu livro Quem disser o contrário é porque tem razão – Guia prático de escrita de ficção do autor Mário de Carvalho ( livro que gosto muito e não me canso de ler e reler), é mencionado Lawrence Durrell por falar da escrita como um meio de “auto-engrandecimento”. Face a tantos pontos altos no meio dos quais nos sentimos tão pequenos, que algo nos engrandeça! Ao não escrevermos, tornamo-nos nós na própria montanha.

Sugestão

Montanhas à parte, proponho começares pelo início, por leres e escreveres ao teu ritmo, porém com um objectivo traçado. O que achas?

Para te ajudar, tens disponível o CADERNO DIGITAL DO ESCRITOR. Este é o momento para o adquirires porque a montanha de escrever um livro ( é uma tarefa árdua, sejamos sinceros e realistas) já está fragmentada em 12 separadores que podes preencher conforme as ideias te surjam durante a escrita ou podes começar por completar o CADERNO e usar o que preenches como alavanca para continuares a escrever. Também tens disponível um separador de planificação.

Se tiveres dúvidas quanto ao Caderno Digital do Escritor, por favor, fala comigo: ana@cronicasporanagui.com.

 

Conta-me tudo, que montanha pareces ter à tua frente neste momento?

Deixe uma resposta

*