Escrever não tem de ser uma actividade solitária

Escrever

Para cantar, é preciso ir cantando. Para falar uma língua, é preciso ir falando. Para escrever é preciso ir escrevendo. Para fecharmos o ciclo do livro, precisamos de publicá-lo.  Para publicar, precisamos de ajuda.

Escrever não tem de ser uma actividade solitária! 

É exatamente o que tenho feito (menos cantar, confesso). A verdade é que dei por mim com tanto material escrito sem saber exatamente que material era válido, qual poderia aproveitar para uma história. Havia muitas ideias de que gostava e outra tantas que nem por isso.

Para além dos gostos, a ligação emocional ao que escrevemos nem sempre nos deixa escolher com objectividade o caminho a seguir.

Depois de escolher, pensar, escrever, pensar outra vez, voltar a escrever, corrigir, enfim… a sensação que tinha era a de estar exatamente no mesmo sítio. Por outras palavras, sentia-mo no ponto de partida. Do que tinha escrito, o que poderia aproveitar.

Porquê?
O meu maior erro foi fazer tudo sozinha. Até pedir ajuda, andei às voltas sem chegar a lado nenhum. Quando finalmente recorri a uma visão profissional e objectiva sobre o que tinha escrito, resultou numa Julieta, a Borboleta de Jaqueta, o meu primeiro livro publicado.

Neste momento estou a trabalhar no segundo livro, mas não sozinha! E tu podes fazer o mesmo!

Se sentes que precisas de ajuda, deixo-te aqui a solução em 3 palavras:

LABORATÓRIO.DA.ESCRITA

Os serviços do LABORATÓRIO DA ESCRITA dão-te toda a ajuda que precisas seja qual for o ponto em que estejas da tua história, do teu próximo livro.

Se não sabes por onde começar e muito menos acabar, então aproveita o próximo curso intensivo já nos próximos dias 28 e 29 de novembro.

Que tal acabares o ano em nota positiva quanto aos teus sonhos, já que a realidade tem sido um pouco insólita?

Não deixes para o ano o que podes fazer já este!

ESCREVER FICÇÃO - CURSOS INTENSIVO

Deixe uma resposta

*