João Tordo

Foi em meio a uma agenda sobrecarregada que o nosso autor de hoje não mediu esforços para conversar digitalmente connosco. Autor de mais de uma dúzia de romances, acaba de pré-lançar um livro diferente. Trata-se de Manual de Sobrevivência de um Escritor. Dada a sua experiência, embora a conversa tenha sido breve, é deveras inspiradora.
E agora, vamos falar com o João Tordo!


Onde encontra a inspiração?


Em toda a parte. Procuro olhar para a vida e encontrar no quotidiano, às vezes nas coisas mais simples, a possibilidade de uma história. Não sei de onde chegam as ideias, para ser sincero. Há uma que se instala com mais força e, depois, é uma questão de tempo até encontrar o caminho para a página. Não depende muito de mim a chegada dessa ideia, mas depende de mim fazer o caminho.

Hábitos de escrita: Onde escreve? Em que momento do dia? Quanto tempo dedica à escrita?


Escrevo sobretudo de manhã, em casa ou num café, depende do estado de espírito. Mas também escrevo em comboios, em hotéis, nos lugares aonde vou falar dos meus livros. Dedico em média quatro a cinco horas por dia à escrita, quando me é possível.

Improvisa à medida que escreve ou conhece o fim antes de escrever?


Improviso, ou melhor: a história vai surgindo e parte das personagens. Não gosto da ideia de “enredo”. As coisas vão surgindo conforme vamos conhecendo as personagens, ganhando familiaridade com elas. Parte-se do interior para o exterior, por assim dizer.


Muito obrigada, João!

Que tal, motivados ( as) a escrever? A vossa opinião é importante para mim, por isso deixem- me os vossos comentários. E para a semana… há mais!


Para adquirir os livros do João Tordo, acedam aqui.


A foto de capa do artigo é do Sebastien LE DEROUT on Unsplash

Deixe uma resposta

*