Um ano de autores portugueses

Um ano de autores portugueses

Há um ano, iniciei o Verão com literatura lusófona. Como resultado, acabei por passar um ano com autores portugueses. Fica a saber porquê e como! 

Porque iniciei o verão com literatura lusófona?

Embora o Verão seja tempo de pausa, para mim costuma ser um momento de resoluções. Por essa razão, há um ano, tomei a decisão de dedicar o Verão a ler apenas literatura lusófona. Foram 2 as razões que me levaram a este mergulho:

  • Primeiro, por ter a língua portuguesa como a língua do coração e sentir-me triste por não estar atualizada quanto aos seus autores;
  • Segundo, por ensinar português a estrangeiros e, por consequência, a sua cultura que inclui também a literatura.

Assim, embarquei num Verão em Portugal ávida de literatura lusófona, conforme vos contei aqui. 

Adianto-vos que descobri aquilo que já desconfiava, por outras palavras, certifiquei-me de que a criatividade dos autores portugueses é muito variada e, por isso, tão cativante. Depois, conforme somava leituras, também fui discernindo os diferentes estilos destes escritores e, por consequência, múltiplas perspectivas. Senão, sigam o percurso.

Percurso de um verão de autores portugueses

Ondjaki 

Gonçalo Cadilhe

Sophia de Mello Breyner Andresen

Valter Hugo Mãe

José Jorge Letria

Porém, o título desta conversa não menciona três meses, mas sim um ano de autores portugueses. O que aconteceu a seguir?

A seguir, empolgada no que já tinha descoberto, deixei-me levar pela curiosidade dos incontáveis autores que não sabia que não conhecia. Ciente de que o caminho ainda estava longe de acabar, prolonguei o meu mergulho. Prosseguindo:

Lídia Jorge

José Luís Peixoto

Joana Veríssimo

João Tordo

Dulce Maria Cardoso

Miguel Esteves Cardoso

Miguel Sousa Tavares 

Afonso Cruz

Ana Isabel Fonseca

Afonso Reis Cabral

Raúl Minh’Alma

Marta Coelho

Duarte D’Orey

Joana Bértholo

Catarina S. Gomes

Manuel Clemente

Pedro Rodrigues

Gabriela Relvas

Teolinda Gersão

Mário de Carvalho  

Iris Bravo 

Entre muito outros autores de colectâneas como Terra Prometida e Língua Mátria. 

Nunca é demais lembrar-vos que todos estes livros podem ser adquiridos nas livrarias físicas (que é sempre o meu local favorito) ou nos locais online habituais:

WOOK

Betrand Online

Fnac Online

Dott

O meu percurso de leitura contém alguns autores portugueses já conceituados, mas resolvi também dar margem a novos autores, alguns acabados de chegar ao panorama literário português. Aproveito e convido-vos, aqueles que ainda não conhecem, a conhecerem autores portugueses na rubrica deste blog intitulada ESCREVER – Palavra de Autor(a).

Um ano depois, continua a parecer-me que a viagem está longe de se dar por terminada… Estou neste momento a chegar ao fim de um livro de contos de um autor que li apenas uma vez e, para o mês que se avizinha, disponho de mais cinco livros de autores portugueses por descobrir, sem mencionar a minha lista de desejos.

Resultado: estou radiante!

O que aprendi de um ano de leitura de autores portugueses?

Aprendi as inúmeras diferenças de que todos somos feitos, apesar de partilharmos a mesma cultura. Descobri que, para além de viagens, os livros podem representar autênticos trilhos por onde enveredamos, trilhos esses que findam sempre por nos levar uns aos outros, nem que seja por uma mínima semelhança.

 

Em conclusão,  sei quando comecei esta aventura, mas não tenho nem uma ínfima ideia de quando a vou terminar. Viajo assim pela leitura sem rumo, apenas ao sabor das palavras de autores portugueses.

E vocês, costumam ler autores portugueses? Descobriram algum ultimamente?

Deixe uma resposta

*