Vivo num pequeno país distante

Vivo num pequeno país

Vivo num pequeno país distante

De tempo breve,

De sentir denso

Em amor intenso, 

Mas ninguém me vê, ninguém o diz.

 

Vivo num pequeno país

Com flores de jardim,

rosas, margaridas, jasmim

E pássaros de cor sem fim,

Que ninguém vê, que ninguém diz.

 

Vivo num pequeno país

De muito poucos habitantes

Atenciosos, perseverantes

De quem me faço distante. 

Assim, ninguém me vê, ninguém me diz.

 

Vivo num pequeno país

Em que espero tudo acontecer,

Por isso escondo-me de viver

E  protejo-me de sofrer. 

Ninguém me vê, ninguém mo diz. 

 

Na verdade, vivo num pequeno país

Sem que a vida me entristeça

Ou a alegria me enalteça…

Pensando bem, que sentença!

 

Vivo num pequeno país, construído na minha cabeça.

 

Afinal, o meu pequeno país,

Ninguém o vê, ninguém o diz

Porque só me tem a mim.

 

Este meu pequeno país

Frio de vazio, em que não rio

E me arrepio, quando dele não quero sair.

 

Deixe uma resposta

*